29 de abr de 2009

- ENTREVISTA - Silvana Campos

A Ideologia contida nos Quadrinhos

Silvana Campos

Pedagoga, graduada pela Universidade Federal de Campina Grande – UFCG, está em sala de aula há 20 anos. Onde, nessas duas décadas vem fazendo largo uso de gibis, tirinhas e charges como processo metodológico que contribui no aprendizado dos alunos.

Um texto de fácil acesso, com boa qualidade interpretativa e leitura bastante prazerosa. Os quadrinhos foram e continuam sendo um dos gêneros textuais que mais tem levado os educadores a formar leitores. Num país onde o gosto pela leitura muitas vezes é ignorado, a tarefa de produzir leitores críticos para educadores não é fácil.

Para os educadores, a própria estruturação dos quadrinhos em si já atrai os olhares das crianças, que inicialmente fascinam-se com as personagens em desenhos e as pequenas falas nas quais o texto é formado, vai pouco a pouco fazendo com que as crianças criem o hábito de leitura, seja pelos quadrinhos que traduzem nossa realidade cotidiana, seja pelos quadrinhos fantasiosos que nutrem a imaginação infantil.

Na sala de aula, os educadores buscam levar às crianças diversas histórias em quadrinhos, optando em alguns casos por textos informativos no que diz respeito à nossa saúde e ao meio ambiente, para com isso além de contribuir para a formação de leitores, estarem lançando sementes de conscientização social, produzindo também melhores cidadãos.

A partir das leituras e trabalho com estrutura e conteúdo dos quadrinhos, as crianças vão a cada leitura familiarizando-se com a prática e no caso do projeto que veremos na entrevista, terá como culminância a elaboração de um gibi pelos próprios alunos. O projeto partiu dentre outros, de um gibi com as personagens do Sítio do Pica-Pau Amarelo, no qual retratam a importância de uma boa dieta para a nossa saúde, e através dela podermos ajudar no combate à obesidade.

Entrevista

1 – A leitura através dos quadrinhos tem sido benéfica para as crianças? Até que ponto?

Sim. A leitura em quadrinhos chama a atenção da criança, ela (em alguns quadrinhos), se vê nas personagens, e relaciona as situações vividas nas histórias à sua vida cotidiana. Assim vejo as histórias em quadrinhos como um recurso rico na formação de leitores atuantes e críticos, que passam a ter prazer nas leituras, divertindo-se com textos informativos, fantasiosos, e uma grande carga de texto não-verbal.

2 – De que forma você vem trabalhando o seu conteúdo?

Estamos desenvolvendo um projeto: Formando leitores a partir de histórias em quadrinhos. Um dos objetivos é que cada aluno no final do projeto produza uma história em quadrinho. Para melhor atingirmos além do objetivo de produzir leitores, optamos por trabalhar com quadrinhos bastante informativos, para deixarmos os alunos interados nas mudanças do planeta no que diz respeito ao meio ambiente e à nossa saúde.

3 – No seu ponto de vista, o que está por traz da ideologia dessas histórias?

Em alguns quadrinhos há historias da realidade do que acontece nos nossos dias. Em outras, fantasias, sonhos, fazem a imaginação das crianças. Apesar de divergirem em si, quanto ao conteúdo, ambas contribuem para a produção de leitores.

4 – A internet tem afastado o gosto por esse tipo de leitura nas crianças?

Sim. A Internet tem dificultado bastante a formação de leitores, que na maioria das vezes trocam as leituras de quadrinhos por jogos e sites de relacionamentos. A maioria das crianças não leem por prazer, apenas fazem as leituras dos livros cobrados pelo colégio, vendo tal pratica como “chatice.”

SinaldoLuna"

27 de abr de 2009

Em cima da Hora...

Estudantes da rede Estadual percorrem as ruas da cidade exigindo professores...
Exigindo professores em sala de aula, os alunos da Escola Estadual José Rodrigues de Ataíde, percorrem as ruas de Itatuba, entoando "ôôô, queremos professor".
A manifestação teve início na escola, no horário em que deveriam está iniciando as aulas da tarde desta Segunda-feira, em seguida organizaram um apasseata, dirigiram-se para o prédio da Prefeitura Municipal e encerraram o protesto "fechando" a entrada da cidade no alto do Cruzeiro com queima de pneu .
A Escola encontra-se em déficit de professores para ministrarem aula desde a posse de José Maranhão ao governo do Estado, ocorrido por causa da cassação de Cunha Lima.
                                                                                                
SinaldoLuna"

DOWNLOADS...

=> CRAZY - Simple Plan no Chevrolet Hall - Recife/PE - 21/03/2009
=> PROTESTO contra a falta de professores na rede estadual de Itatuba
==> Cd prmocional Forró Pancada Federal - Atração do São Pedro 2009
Mais, em breve...
SinaldoLuna"

25 de abr de 2009

Honra, Orgulho, Amor...

A Ordem Demolay...


É maior organização juvenil do mundo. Desde sua fundação em 1919, pelo maçom Frank Sherman Land, atrai jovens do mundo inteiro. São rapazes de 12 a 21 anos que se baseiam nas sete virtudes cardeais: Amor Filial, Reverência pelas coisas Sagradas, Cortesia, Companheirismo, Fidelidade, Pureza e Patriotismo. É inspirada na história e exemplo de Jacques DeMolay, 23º e último Grão-Mestre da Ordem dos Templários, que foi perseguido pela Inquisição da Igreja Católica e executado por ordem do Rei Filipe, O Belo, da França, num processo outorgado pelo papa Clemente V, por não entregar seus companheiros ou faltar com fidelidade a seus juramentos.
Há cerca de oito milhões de membros em todo o mundo e mais de 200 mil no Brasil.
A Ordem DeMolay visa o desenvolvimento da personalidade do jovem, procurando amadurecê-lo e prepará-lo para que na maioridade ele seja um cidadão idôneo, um líder competente e um ser humano capaz de ajudar a quem necessitar. Apesar de ser uma entidade patrocinada pela Maçonaria Universal, não se trata de um grupo de jovens maçons nem garante aos DeMolays ingresso direto em nenhum Corpo Maçônico.
Para que um jovem participe da Ordem DeMolay, é preciso que o mesmo seja indicado por um membro ativo da Ordem, ou um Sênior DeMolay, ou um Maçom, todos devidamente regulares as suas potências. O jovem escolhido deve ser destaque no meio onde vive, e preencher as características necessárias:
§ Ter entre 12 anos completos, e 21 incompletos;
§ Possuir, ao menos, grande maioria das virtudes defendidas pela Ordem;
§ Sendo indispensável que creia em um ser superior (independente de religião);
§ Ser uma pessoa de bom caráter e ética.
Os candidatos ao ingresso na Ordem DeMolay não são escolhidos aleatoriamente, passam por um rigoroso processo de seleção, para que assim, possam ser iniciados.
Após a aprovação, o futuro DeMolay passará pela belíssima Cerimônia de Iniciação que com toda uma simbologia (na qual passará a conhecer os segredos da Ordem), marca a entrada de mais um Irmão ao Capítulo DeMolay, que agora no Grau Iniciático aprenderá o significado da Ordem, das virtudes e da Coroa da Juventude. Depois desse processo de aprendizagem, a Cerimônia de Elevação fará desse Iniciático um membro do Grau Demolay, que tem caráter administrativo, onde cada DeMolay poderá ocupar algum dos cargos do Capítulo (Mestre Conselheiro, 1º Conselheiro, 2º Conselheiro, Escrivão, Tesoureiro, 1º Diácono, 2º Diácono, 1º Mordomo, 2º Mordomo, Orador, Hospitaleiro, Sentinela, Mestre de Harmonia, Porta Estandarte, Capelão, Mestre de Cerimônias e Preceptores).

A Ordem DeMolay e Eu...


Interessei-me pela Ordem DeMolay desde que a conheci. Seus princípios, fundamentados nas sete virtudes cardeais de um DeMolay e os três baluartes (Liberdade Civil, Religiosa e Intelectual), deixaram-me bastante atraído para o seio da Irmandade e através da indicação de amigos DeMolays, passei pelo processo para admissão, e após ser aprovado, no dia 07 de Fevereiro fui iniciado no “Capítulo Deus, Pátria e Família”, o oitavo a ser instalado em nosso país, segundo do Nordeste e primeiro do nosso Estado, um capítulo de tradição, com uma grande história e jornadas de trabalhos e prol da sociedade. O Capítulo é patrocinado pela Loja Maçônica Regeneração Campinense nº 2, fundada no dia 19 de agosto de 1923, sob a jurisdição do Grande Oriente do Brasil que, em 3 de outubro de 1924, lhe outorgou a Carta Constitutiva nº 1002, tendo sua regularização ocorrido no dia 8 de dezembro de 1924.
Por mais que o tempo de iniciado seja ainda relativamente pequeno, creio que já possa fazer algumas considerações, desde as mais “simples” como ter compromisso aos sábados pela tarde, até a Campanha de Páscoa e Campanha em Prol dos desabrigados de Patos (na qual tive imensa satisfação em poder arrecadar roupas para as vítimas da enchente). Através da busca pela completa fidelidade aos princípios da nossa Ordem (já que não é segredo para ninguém minha ausência de patriotismo), procuro agora não enxergar apenas o “lado ruim” do nosso país. Pela música e o cinema (as artes que mais gosto), tento ater-me ao “lado bom”. Para ser mais claro, para quem antes buscava apenas observar a temática central do cinema nacional em “miséria, pornografia e criminalidade”, agora busco ver a luta de um povo que apesar das dificuldades encontradas em nosso pai, não perde a Fé, não perde a alegria de viver... Para quem antes, as músicas nacionais que costumava ouvir “por ai” seguiam sempre a mesma temática apelativa ao sexo e ao uso de drogas e por isso ignorava “qualquer uma que aparecesse”, agora tento observar a riqueza musical que há em inúmeros artistas brasileiros e que sabem fazer uma boa música (não cito nomes para não fazer merchan, deixemos para outra ocasião...).
Não que eu queria tentar expor uma mudança, popularmente dita como “da água pro vinho”, longe disso. Mas, para querer ser fiel à sétima virtude, vi que deveria começar pelo mais básico e o que eu mais gosto, para quem sabe um dia, mudar a opinião deixada em outra postagem onde falava das tantas vezes que reagi a assaltos e isso fazia com que eu tivesse medo do meu país, e não amor. É como deixei naquela postagem, “I Have A Dream...”.

Por enquanto, ficarei por aqui, mas voltarei a tratar assuntos da Ordem DeMolay em breve!
Para mais informações sobre a Ordem Demolay e o Capítulo Deus, Pátria e Família Nº 008, acesse:
Dúvidas? Mande um e-mail para:

SinaldoLuna”



19 de abr de 2009

Pra Descontrair...

Em tempos de debate político...
(Os Melhores do Mundo - Cia. de Teatro)