21 de mai de 2012

Só enquanto eu respirar...

 Sem horas e sem dores, respeitável público pagão, bem vindo ao Teatro Mágico...


O Teatro Mágico fez show único em Campina Grande no dia 11

À primeira vista, um grupo de músicos vestidos de palhaços, fazendo números circenses, recitando poesia e misturando ritmos, pode parecer muito bobo. 

No entanto, coisa mais linda se existe, não vi. Divido com vocês agora o que vi e vivi há semana, quando pude sentir a força que emana das músicas e apresentações d’O Teatro Mágico.

Vi uma trupe que não decepcionou as quase duas mil pessoas que foram vê-los. Mesclando as musicas do novo trabalho a “Sociedade do Espetáculo” com as já conhecidas e amadas por seus fãs, e levando-os ao delírio.

Vi um monstro de garras gigantescas tentando roubar a nossa paz durante a música “Amanhã... Será?” e o público levantando bolas brancas, crendo que, sim, “amanhecerá de novo em nós”, um tempo de paz.  Vi bailarina voando de saudade em meio a Quermesse.Vi malabarista brincar com fogo e cuspir fogo em nossa direção.  

E ouvi... Ouvi músicas de letras lindas, que nos motivam a fazer a diferença nesse mundo. “Milagres acontecem quando a gente corre atrás”, “ Acredito que errado é aquele que fala correto e não vive o que  diz”, “mas tudo fica sustentado pela fé, na verdade ninguém sabe o que é”.

Ri das muitas graças que nossos músicos palhaços faziam enquanto nos prendiam a atenção por inteiro. Gargalhei quando Anitelli cantou o Funk do Japa.  Fiquei séria ao ouví-lo defendendo a “música livre”, fazendo crítica de gente grande à corrupção e pregando a arte livre ao alcance de todos. 

Senti que era parte da Trupe no momento em que Fernando e toda trupe disseram: “E agora com vocês... Vocês!” E um campestre repleto de vozes diversas cantou em alto e bom som: “Só enquanto eu respirar vou me lembrar de vocês, só enquanto eu respirar...”

Senti calor. Calor por toda aquela gente tão perto e calor humano quando estranhos me abraçavam chorando, porque entendíamos o que estávamos sentindo ali. A arte nas suas muitas faces: Circo, Teatro, Poesia e Música, nos mostrando o que o ser humano é capaz de fazer e quanto é capaz de emocionar.

Juliana Lira e Fernando Anitelli
Por fim, fiquei extasiada quando Anitelli pediu que calmamente sentássemos no chão e cantássemos junto a ele. Transformando um show, em que todos pulavam enlouquecidos e gritavam, em um luau. Vozes e violão... Cantamos realejo.

No fim, já rouca, cansada, com os pés doendo. Entendi que o que tínhamos compartilhado ali, era algo tão simples e ao mesmo tempo tão mágico que fizemos uma prece silenciosa para que logo se repetisse. Para que fossemos “bobos” todos os dias e que esse amontoado de gestos, linguagens, sons e lirismo nos preenchessem a vida.  Pois como disse Friedrich Nietzsche a arte existe para que a realidade não nos destrua”.


P.S: Sem mencionar a saga que foi pintar o rosto de palhaço. Sair ligando pra todos os hotéis de Campina Grande até descobrir onde a trupe estava hospedada e na recepção do hotel mais caro da cidade,falar com o recepcionista como se estivesse de cara lavada, para conseguir as fotos e os autógrafos sonhados, mas isso já é outra história...


Juliana Lira

6 comentários:

Gostei muito dessa crônica! E de fato o Show foi de uma simplicidade e ao mesmo tempo tão mágico que não se podia entender. Épico, Mágico, Maravilhoso... Há inúmeros adjetivos que podem, ou pelo menos podem se tentar utilizar para descrever um Show tão brilhante! Não vejo a hora da melhor trupe TM estar aqui novamente! =D
Vinícius B. Araújo

Só você Juliana Lira pra trazer o show e a vida desse espetáculo, que já tive o privilégio de estar e viver, como se materializasse tudo de novo diante de nós.
Obrigada por essa crônica e por sua vida!

Abração de sua conterrânea que mora em Fortaleza/CE. Rose Lira

Poxa... muito boa a crônica. Tem pessoas que tem o dom de escrever (eu não faço parte desse grupo) mas você sim, é óbvio. Mas enfim, após ler tudo isso, tive a dimensão do espetáculo que perdi, e também show do TM não tem como não ser bom né? No próximo eu vou, não perco por nada.

Emocionante! Parabéns pela perfeita descrição do que foi esse show!!! Se eternizou com certeza!!!

Nossa.
Fiquei emocionada com a descrição que fora feita do Show do OTM!

Foi exatamente assim que me senti.

Parabens! Parabens mesmo! *o*

Parabéns! pelas palavras que puderam nos remeter ao momento em foi único para mim, em vários shows este foi o único que tenho a certeza que todos sentiram a mesma coisa.O prazer de ouvir e sentir a poesia.