28 de jun de 2012

Sem medo da chuva!

Sob forte chuva, Zé Ramalho subiu ao palco às 00h06min. Por uma hora e vinte minutos de espetáculo, desfilou os seus maiores sucessos, aquecendo a multidão que lotou o Parque do Povo e não se intimidou com a chuva que não queria cessar.

Ora nas canções românticas, ora nas mais dançantes, o público acompanhava o músico a todo o momento. O coro era ouvido nos versos mais populares do paraibano e braços surgiam frequentemente entre um espaço e outro num mar de guarda-chuvas logo no início do show. Em pouco tempo, paradoxalmente à chuva que aumentava, os guarda-chuvas diminuíram.

Como um mantra, num momento de homenagem ao músico Raul Seixas, Zé e multidão entoaram a perca do medo da chuva... E ela, por alguns momentos, foi embora.

O setlist sofre poucas mudanças a cada ano que o músico se apresenta no Maior São João do Mundo. Se São Pedro não ajuda, a repetição de canções consagradas na música popular brasileira não é nada. Assim como os astros internacionais que o influenciam, Zé mostrou energia de sobra e que sua obra não tem limite de geração. Música para todos... Filho, avô e pai.

Mais uma vez, o sertanejo eclético e único deixa Campina Grande aguardando a figura que mistura mitologia grega, ufologia, misticismo, Beatles, Bob Dylan, Pink Floyd, Raul Seixas e The Rolling Stones com a cultura nordestina e tem um vozeirão de fazer inveja a todos eles.

“Tá tudo mudando”, mas o que é bom permanece. Uma das maiores atrações do São João de Campina, Zé prova isso. Não é qualquer “melhor banda de forró (?)” que tem a magia de em plena quarta-feira chuvosa arrastar a multidão que nosso paraibano roqueiro arrochado consegue sem forçar muito o gogó ou precisar apelar à se(x/ns)ualidade.





SinaldoLuna