31 de dez de 2012

Séries de destaque em 2012

2012 foi um ano movimentado no mundo das séries.

Séries consagradas pelo público e/ou crítica surpreenderam com temporadas ainda mais impressionantes.

Personagens que marcaram os últimos anos na TV deram adeus e deixaram seus lugares vazios. E a impressão que temos é que nenhuma das estreias apresentaram personagens com potencial equivalente (pelo menos, até agora!).

Pensando em fazer uma retrospectiva do que vimos durante o ano, resolvemos eleger as melhores séries do ano. Mas lembrando de que nossos critérios de escolha não são referentes às especializações em cinema e TV e sim baseados em gostos pessoais e séries que conseguimos ver durante o ano.

Dividimos nossa lista em duas categorias:  melhores estreias e melhores temporadas.

- Melhores temporadas:

Divulgação
Game of Thrones (2ª temporada): Produção grandiosa, cenas épicas e diálogos marcantes. Um dos destaques foi o desenvolvimento do personagem Tyrion marcado pela brilhante atuação de Peter Dinklage.

Homeland (2ª temporada): No Emmy 2012 saiu na frente de grandes nomes como Breaking Bad, Mad Men e Downton Abbey. A segunda temporada manteve o nível e continua a surpreender pelo roteiro bem elaborado e atuações de Claire Danes e Damian Lewis.

Mad Men (5ª temporada): A crítica e os fãs sempre esperam algo surpreendente em Mad Man e nunca ficam decepcionados.

Downton Abbey (3ª temporada): Umas das séries mais queridas dos últimos anos, destaca-se pelo elenco escolhido perfeitamente, fotografia impecável e trama envolvente. Nessa última temporada, os elementos positivos só foram ampliados.

Sherlock (2ª temporada): Adaptação das histórias de Sherlock Holmes - de Conan Doyle, apresenta o diferencial de ser ambientada em uma Londres contemporânea e não decepciona. Os destaques são o roteiro inteligente e as brilhantes atuações de Benedict Cumberbatch e Martin Freeman.

Fazer uma lista como essa é realmente complicado! Sempre achamos que é injusta, ainda mais porque tem séries que estão no meio das temporadas e outras que não deu tempo de assistir esse ano etc. Assim, podemos citar Dexter, The Big Bang Theory, American Horror Story, Breaking Bad, Falling Skies, True Blood e The Walking Dead.


- Melhores estreias:

Das séries que iniciaram antes da Fall Season de 2012 (setembro /outubro) só destacamos três: Girls, The Newsroom e Perception.

Das estreias recentes, algumas já foram canceladas, como Hunted, Last Resort, Emily Owens MD, Partners, 666 Park Avenue, Made In Jersey.

Depois de eliminar os cancelamentos e as que não dão para assistir de jeito nenhum (Bad Teacher, The Primeval New World), fica mais fácil escolher as melhores, e/ou pelo menos não desastrosas, estreias:

Nashville: Apresenta os conflitos de uma veterana da música country para manter-se  no mercado atual e os conflitos de uma estrela juvenil para provar que não é apenas mais uma na indústria fonográfica. Não é uma daquelas séries musicais. Os dramas dos personagens são os destaques da série. 

Arrow: A série que apresenta o Arqueiro Verde tem tudo para ser a nova queridinha do canal CW, temos aqui uma série dinâmica, com cenas de lutas elaboradas, roteiro que se desenvolve de forma interessante  e um super herói mais próximo da humanidade.

The Mindy Project e The New Normal: A únicas comédias da lista. Foi difícil uma comédia destacar-se em 2012 devido ao domínio de nomes como Modern Family, TBBT, New Girl. 

Elementary: Os fãs de Sherlock da BBC e dos livros de Doyle já começaram odiando uma versão de Sherlock Holmes ambientada em Nova Iorque! Mas nos últimos episódios apresentados, a série mostrou que tem qualidade e sem contar com as atuações dos ótimos  Jonny Lee Miller e Lucy Liu.

Chicago Fire: Apesar de parecer chato pensar em mais uma série sobre salvamento, CF é interessante por explorar o lado estressante e perigoso dos bombeiros. Além de contar com elenco super bonito (kkk) com Jesse Spencer, Taylor Kinney.

Séries que terminaram e vão deixar saudades: Gossip Girl, House, Merlin e One Tree Hill.

Destaques da música - Retrospectiva 2012

Que “Gangnam Style”, “Call me Maybe” e “Camaro Amarelo” foram os hits que sacudiram a internet em 2012, isso já tratamos aqui, mas os destaques no mundo da música vão muito além.
2012 foi um ano promissor ao chamado sertanejo universitário. Além da dupla Munhoz & Mariano (do Camaro Amarelo), Michel Teló, Paula Fernandes, Luan Santana, Gusttavo Lima, Victor & Léo, Jorge & Mateus... E mais uma enorme lista de artistas desse gênero deram o tom na música do Brasil dominando as paradas de sucesso.
Divulgação
Adele foi, sem dúvida, o maior nome na música mundial e nas rádios das terras tupiniquis. A qualidade da jovem cantora britânica que encanta pelo vozeirão foi catapultada pela força das novelas globais e “Someone Like You” e “Set Fire to the Rain” juntaram-se com “Rolling in the Deep” para encher a cabeça - e os corações - de muita gente.
Katy Perry, Rihanna, Coldplay e Maroon 5 souberam aproveitar bem os gradiosos shows que fizeram no Rock in Rio 2011 e colheram os frutos em 2012 deixando marcas. Maroon 5 foi ainda mais longe e decidiu trazer sua turnê ao Brasil. Coldplay até que anunciou shows para o início de 2013, mas cancelou em seguida, decepcionando fãs que aguardam ansiosamente a “Mylo Xyloto World Tour” que rendeu ao grupo britânico um dos mais belos shows do ano, registrado no material “Coldplay Live 2012”.
Taylor Swift e Lady Antebellum tiveram ainda mais espaço com seu “country romântico chique”. Demi Lovato chegou às rádios com baladas românticas, arrancou lágrimas de muitas garotas... Achou pouco e veio ao Brasil, para delírio dos fãs. Justin Bieber, apesar novos trabalhos, perdeu espaço para One Direction, uma boy band de pop britânico que tem feito muitas menininhas gritarem, como cheguei a ver uma menina pular e gritar espalhafatosamente numa loja ao encontrar o álbum dos rapazes.
Quantas vezes você esteve numa balada eletrônica e saiu sem ouvir Titanium?! Dificilmente ela foi esquecida em qualquer festa em 2012. A parceria entre David Guetta e Sai grudou na cabeça de muita gente.
Que o Brasil é um dos queridinhos dos grandes artistas internacionais, isso ninguém duvida. 2012 foi mais um ano de estrondosos shows por aqui. A primeira edição do Lollapalooza, realizado em São Paulo, trouxe Foo Fighters, Arctic Monkeys e Foster the People como destaque. Não é novidade, mas Sir. Paul McCartney esteve outra vez por aqui. A novidade ficou por conta de ter se apresentado pela primeira vez no Nordeste, com dois shows em Recife. Outro grande ícone da música mundial, Roger Waters trouxe o show conceitual “The Wall”.
Keane voltou ao Brasil, abrindo os shows de Maroon 5, e especula-se que tenha sido canal de reconhecimento para vir em 2013 com sua própria turnê e Noel Gallagher trouxe seu álbum solo. Jennifer Lopez até que tentou, mas parece não ter estado dentro das expectativas geradas pelo público em sua primeira passagem pelo Brasil.
O fim do ano, e talvez o maior destaque de 2012, é marcado pelo que podemos chamar de duelo pop. Madonna volta ao nosso país para apresentar seu mais recente trabalho em período próximo à primeira vinda do furacão Gaga. As duas recentemente passaram a trocar algumas farpas. Ambas capricham em figurino, cenário, polêmicas. Madonna tem uma vasta carreira de hits; Lady Gaga tem apenas dois álbuns, mas carrega uma legião de fãs indomáveis. Quem ganha o duelo? O cara a decidir entre as duas não serei eu!
2012 chega ao fim trazendo notícias de grandes espetáculos para 2013. O Rock in Rio já tem data marcada e nomes de peso confirmados, como o grupo britânico Muse. Outro Lollapalooza vem por aí. Outras grandes turnês também são esperadas. Vamos aguardar e os melhores nomes... E os menores preços também (só que não!).


Os 10 álbuns mais vendidos em 2012, de acordo com Media Traffic:
1. Adele – 21;
2. Taylor Swift – Red;
3. One Direction - Up All Night;
4. Lana Del Rey - Born To Die;
5. One Direction - Take Me Home;
6. Mumford & Sons – Babel;
7. Pink - The Truth About Love;
8. Justin Bieber – Believe;
9. Coldplay - Mylo Xyloto;
10. Maroon 5 – Overexposed.
 

2012 foi um bom ano para o cinema?!

Hollywood não tem do que reclamar. A Meca do Cinema Mundial está prestes a bater um novo recorde, contabilizando quase 11 bilhões de dólares de renda anual, de acordo com os últimos dados divulgados pelo site Hollywood.com na quarta-feira (26).

Grandes elencos, grandes atuações, ótimas direções!
Quais os maiores destaques do ano? Quais as principais apostas ao Oscar 2013?
Confira os filmes que despontam como favoritos e, pra variar, alguns ainda nem chegaram às terras tupiniquins:

Divulgação
1 – “Argo”, com direção de Ben Affleck, que também atua, é um dos mais cotados aos principais prêmios em 2013. A trama envolve a tentativa da CIA de retirar diplomatas de Teerã em 1979, durante crise entre os governos e a revolução iraniana. A produção ousada, bem narrada e uma sutil homenagem à Hollywood fazem de Argo um dos principais candidatos a melhor filme e marca a qualidade de Bem Affleck como grande cineasta, que também pode surpreender na categoria melhor diretor. O longa já está em cartaz do Brasil!

2 – “O Lado Bom da Vida”, dirigido por David O. Russel, é uma comédia romântica que pretende quebrar o paradigma de “oscarizar” apenas dramas. Jennifer Lawrence, conhecida pela atuação no lucrativo “Jogos Vorazes” é cotada à indicação de melhor atriz. Inicialmente, Anne Hathaway seria a triz, mas “Os Miseráveis” impossibilitou. O filme conta a história de um homem que tenta reconstruir a vida após sair de um sanatório onde buscou recuperar-se de uma depressão por ter perdido tudo. Uma das buscas de Pat Solitano Jr. (Bradley Cooper) e retomar o casamento, mas acaba conhecendo uma jovem que o faz mudar de planos e reconectar-se à vida. É uma das maiores apostas às principais categorias e só deve chegar ao Brasil em fevereiro.

3 – “Os Miseráveis”, baseado do clássico homônimo de Victor Hugo, é uma adaptação do musical da Brodway e conta a história de Jean Valjean (Hugh Jackman) que rouba um pão para alimentar sua irmã mais nova e acaba sendo preso. Depois de solto, ele tenta recomeçar a vida numa trama que envolve amor e a perseguição do inspetor  Javert (Russell Crowe). O drama se passa no contexto na Revolução Francesa e é dirigido por Tom Hooper, que recusou o comando de O Homem de Ferro 3 por causa d’Os Miseráveis e se consagrou em O Discurso do Rei. O elenco conta ainda com Amanda Seyfried (Cossete), Samantha Barks (Éponine), Anne Hathaway (Fantine), Eddie Redmayne (Marius), Sacha Baron Cohen (Monsieur Thenardier), Aaron Tveit (Enjolras) e Helena Bonham Carter (Madame Thénardier). O longa tem previsão de estreia no Brasil também para o início de fevereiro.

4 – “Django Livre”, dirigido e roteirizado por Quentin Tarantino, é protagonizado por Jamie Fox e tem no elenco Leonardo di Caprio, Samuel L. Jackson e Christoph Waltz. Fox vive Django, um escravo liberto que vive uma aventura cercada de assassinatos em busca de sua esposa, capturada no comércio humano. Para Django conseguir escapar com sua esposa, vive o dilema da independência e solidariedade, sacrifício e sobrevivência. Tem previsão de estreia no Brasil em janeiro.

5 – “Lincoln”, de Steven Spielberg, é baseado no livro “Team of Rivals: The Genius of Abraham Lincoln”, de Doris Kearns Goodwin, e é um tributo do renomado diretor a um dos mais respeitados presidentes americanos. O longa retrata a vida do ex-presidente durante os seis últimos meses de vida e a sua luta para o fim da escravidão no país, durante a Guerra de Secessão. É protagonizado por Daniel Day-Lewis (será que receberá seu terceiro Oscar de Melhor Ator?) e é um dos maiores correntes a Argo pelo Oscar de Melhor Filme. Também chegará ao Brasil em janeiro.

Os filmes que “correm por fora” e também podem chegar ao Oscar com forte concorrência são: “As Aventuras de Pi”, de Ang Lee, pode concorrer a Melhor Filme, Melhor Diretor e liderar as indicações técnicas, dado o show de efeitos de computação gráfica e um fabuloso tigre em 3D que recriam a história de dois jovens indianos que dividem um bote salva-vidas com vários animais de zoológico; “O Mestre”, apesar da qualidade que o despontaria como forte candidato, Joaquim Phoenix, protagonista, chegou a dizer que o Oscar era uma bobagem e a Academia não gosta de ser menosprezada!; “A Hora mais Escura”, de Kathryn Bigelow, mostra a caçada por Bin Laden com cenas de interrogatórios e torturas, repetindo um pouco da temática que a consagrou em “Guerra ao Terror”.
Correndo ainda mais por fora e podendo surpreender os produtores dos filmes citados está “O Hobbit – Uma Jornada Inesperada”. O sucesso de bilheterias dirigido por Peter Jackson que tenta repetir a dose de O Senhor dos Anéis tem corrido atrás de suas indicações a todas as principais categorias e tem contado com forte campanha publicitária da Warner Bros. O filme tem qualidades para estar entre os principais vencedores. O tempo é que é seu maior inimigo, ao ver seus concorrentes já consolidados na cabeça dos votantes.

Mas... E o Brasil?!
Para não perder a tradição, o Brasil ficou mais uma vez de fora dos indicados ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Este ano o Governo enviou o nome de “O Palhaço”, de Selton Mello. A categoria, que ainda tem 9 pré-candidatos, de onde restarão 5, deverá ter uma forte disputa entre os franceses “Amor” e “Os Intocáveis”. “Amor”, que tem um enredo triste baseado na história de um casal envelhecendo, é o favorito e, em breve, traremos postagem sobre esse longa que vem sendo aclamado pela crítica em todo o mundo.

A 85ª edição do Oscar será realizada no Teatro Dolby, em Hollywood, no dia 24 de fevereiro de 2013 e até lá traremos maiores informações da corrida ao maior prêmio da sétima arte. Ficaremos sempre atentos a cada novidade e a Academia divulgará os indicados no próximo dia 10 de janeiro!

30 de dez de 2012

Hits da internet - Retrospectiva 2012



Pensando em uma retrospectiva dos acontecimentos mais marcantes na internet em 2012, quais teriam maior destaque? 

Claro que cada pessoa tem preferência por alguns fatos ou até mesmo nem ouviu falar de outros, mas procuramos fazer uma breve lista baseada em algumas divulgações sobre os links mais comentados e acessados na internet.

Há alguns dias, o Youtube listou os vídeos mais acessados do ano. Dos vídeos que fizeram sucesso mundial destacamos: 

Gangnam Style – Hit do rapper sul-coreano PSY. Alcançou a surpreendente marca de 1 bilhão de acessos. O vídeo já ganhou inúmeras paródias e versão até do elenco da série Glee (Fox).


Call Me Maybe – Clipe da canadense Carly Rae Jepsen.



Já no Brasil alguns dos vídeos de destaque foram:

Camaro amarelo - Munhoz & Mariano (Alguém do blog finalmente descobriu de onde veio a frase "agora fiquei doce, doce, doce..." :D).



Para nossa alegria - Sem comentários. Todo mundo ama.



Também surgiram algumas webcelebridades:

O mendigo de Curitiba ficou famoso por sua beleza não corresponder à situação trágica em que se encontrava (Acho isso preconceituoso, mas foi o que aconteceu) (E alguém aqui do blog acha ele parecido com o Chirs Martin... Será?). 

(Mendigo de Curitiba - Imagem Revista Época online)

(Chris Martin - Alguma semelhança? - Imagem The L Magazine)

Luiza ficou conhecida por causa de um comercial no qual citavam que a ausência da menina era porque ela estava no Canadá (Só eu que não aguento mais esse assunto?). 


Alguns memes surgiram depois de alguns fatos inusitados:

Nana Gouvêa fez um ensaio fotográfico nos locais destruídos pelo furacão Sandy nos EUA, o que causou revolta e também algumas piadas com montagens da “atriz” em outros momentos trágicos.

(Imagem do site Ego)

(Um dos memes criados por usuários - Uol Tecnologia)

A “restauração” da obra "Ecce Homo", por Cecilia Giménez. 

(Uol Tecnologia)
Então, o que acham desses destaques?

O Hobbit - Uma Jornada Inesperada


Quase 10 anos após o estrondoso sucesso do recordista em prêmios da Academia hollywoodiana de cinema, “O Senhor dos Anéis - O Retorno do Rei”, “O Hobbit” é o primeiro filme da trilogia que leva às telonas a obra literária de J.R.R. Tolkien que precede o consagrado O Senhor dos Anéis.

Após as especulações de que Guillermo Del Toro dirigiria o filme, o comando ficou mais uma vez por conta de Peter Jackson, que inovou gravando o filme em 48 frames por segundo e enfrentou batalha judicial iniciada em 2008 que quase cancelou a produção quando os herdeiros de Tolkien, falecido em 1973, ameaçaram impedir a liberação dos direitos autorais enquanto não recebessem o valor de US$ 220 milhões referentes aos filmes já realizados e não pagos pela New Line. Guillermo desistiu da direção devido aos constantes problemas financeiros da produtora e decidiu ficar apenas com o roteiro. Os problemas não pararam por aí e Jackson presenciou ainda uma revolta pela equipe técnica que reclamava da má remuneração, ou até mesmo falta dela, anúncios que soaram preconceituosos, ao buscar “atores com tom de pelo claro”, acabaram por barrar uma atriz de origem paquistanesa e demitir um membro do staff de direção. Para completar a turbulência, as gravações foram novamente atrasadas no início de 2011 quando Jackson foi internado às pressas com uma úlcera.

Passada a má fase, as filmagens começaram em de 20 de março de 2011 e duraram 14 meses, e eis que temos uma boa notícia aos fãs: estamos livres de imprevistos como esses que acontecerem há pouco, já que todos os filmes da trilogia foram rodados nesse intervalo de tempo! Inicialmente, o livro produziria apenas dois filmes. Entretanto, após o término das filmagens, o diretor Peter Jackson e a Warner Bros concordaram em redividir o material rodado em três produções. “O Hobbit: A Desolação de Smaug” será lançado em 2013 e “O Hobbit – Lá e de Volta Outra Vez” chegará aos cinemas em 2014.

A estreia mundial do longa de quase 3 horas de duração ocorreu no último dia 14 e tem levado uma legião de  fãs, sejam eles da obra de Tolkien, de Peter Jackson, da sétima arte... Para enfrentar salas lotadas e viajar mais uma vez à Terra Média.

Já devo ter falado em algum texto aqui que não sou muito fã de sair de casa para ver uma estreia muito aguardada e, apesar de até ter passado por minha cabeça a vontade de ir à estreia d’O Hobbit, aguardei por dois dias... O que não foi suficiente para cessar salas lotadas e pessoas assistindo devido “ao fluxo”, e denominando o filme de “O Órbit”. Vencidos os obstáculos das conversas, telefones, sacos de pipocas e até mesmo o cansaço deixado pelas primeiras cenas, estive diante de um dos mais bonitos filmes do ano.

O filme, com início cansativo, começa abordando o contexto em que se passará a história que leva à já conhecida aventura deslumbrada pelos fãs de Tolkien. Aos poucos, a lentidão do enredo dá lugar à velocidade das cenas de batalhas em momentos que nada deixam a desejar, comparando-se a’O Senhor dos Anéis. Acompanhamos Bilbo Bolseiro no começo de sua jornada ao lado de anões e elfos numa aventura envolvente.  A maneira contínua da narrativa dá a certeza de que a direção do filme não poderia estar noutras mãos.  A melhor atuação é de Andy Serkis, que interpreta Gollum, responsável por algumas das melhores cenas do filme. Melhor Fotografia, Melhor Roteiro Adaptado, Melhores Efeitos Visuais, Melhor Direção e Melhor Filme são as principais apostas do longa para intimidar os concorrentes ao Oscar.

O Hobbit é um filme realmente projeto para ser visto nas telonas, em 3D, e com o deslumbramento digno para um diretor como Peter Jackson. Cada lugar (vide Valfenda) e cada movimento (vide as lutas) minunciosamente detalhados fascinam, o que não exclui a grandiosidade do enredo, apesar da fragmentação diante da obra literária. As quase três horas de duração e o começo lento podem tender ao receio em ir ao cinema assisti-lo, mas o desdobramento da narrativa e a beleza do filme deixam nos fãs da fantasia aquele gostinho de ficar sentado aguardando as próximas partes... E você até que fica, reluta a sair, mas encerrados os créditos finais e caindo a ficha que terá de esperar um ano, o jeito é voltar pra casa e rever a trilogia O Senhor dos Anéis.